Publicidade

noticias

Procon de Piracicaba orienta pais na compra de material escolar

Órgão preparou uma série de dicas para evitar prejuízos.

| Da redação -

O Procon de Piracicaba preparou uma lista de orientações aos consumidores para amenizar os gastos com materiais escolares nessa época do ano.

1) Pesquise. O fato do Procon de Piracicaba não ter feito, não significa que o consumidor não deve fazer. Uma pesquisa da Fundação Procon/ SP mostrou diferença de até 258,49% entre os produtos. É uma amostragem da disparidade dos materiais. Foram analisados 143 itens.

2) Busque pelo menos três grandes papelarias para fazer um balizamento.

3) A escola tem obrigação de fornecer a lista aos alunos, justamente para que o consumidor escolha onde comprar. A instituição não pode exigir que a compra seja feita em um determinado estabelecimento, isso é prática abusiva.

4) Antes de ir às lojas, verifique o que é possível reaproveitar para evitar gastos supérfluos.

5) Plano de pagamento: leve em conta as taxas de juros; o estabelecimento tem obrigação de informar.

6) Combine com os amigos de fazerem compras juntos; isso aumenta a chance de conseguir um desconto maior, já que as lojas dão desconto para grandes quantidades.

7) Exija nota fiscal. Ela é sua garantia de troca do produto, caso precise.

8) Se for comprar com cheque pré-datado, as datas devem ser especificadas na nota fiscal e no verso do cheque, para que o comerciante tenha como garantir esse depósito na data combinada. Apesar de não constar no código, a data do cheque pré-datado deve ser respeitada, sob pena de multa para o comerciante que depositar antes do dia.

9) Colas, tintas, pincéis atômicos e fitas adesivas têm que conter informações claras da composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam risco ao consumidor. Tudo em língua portuguesa.

10) Nunca leve os filhos às compras, porque eles sempre vão querer produtos com os personagens que mais gostam e esse tipo de material é mais caro.  Você vai pagar o que não quer por aquilo que a criança quer.
 

Publicidade