Publicidade

noticias

Presidente do Inep, Malvina Tuttman, deixa o cargo

Saída foi decidida após reunião com o ministro Aloizio Mercadante. " (...)me sentirei sempre presente", disse em nota.

| Globo.com/G1 -

 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (lnep) anunciou nesta quinta (26) que a presidente do órgão, Malvina Tuttman, deixou o cargo após reunião com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.
 
O Inep é o responsável pela elaboração do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Malvina Tuttman ocupava a presidência do instituto desde 18 de janeiro do ano passado. É a terceira saída do presidente do Inep em três anos. Reynaldo Fernandes saiu em dezembro de 2009 e deu lugar a Joaquim José Soares Neto, antecessor de Malvina.
 
O Enem apresentou problemas nas três últimas edições do exame, desde quando passou a ser usado como forma de acesso às instituições públicas de ensino superior - em 2009, houve furto de provas da gráfica; em 2010, problemas com a impressão dos cadernos de provas; e, em 2011, vazamento de questões em uma apostila distribuída a estudantes de um colégio em Fortaleza.
 
Até a última atualização desta reportagem, ainda não havia definição sobre quem substituirá Malvina Tuttman no cargo. Pela manhã, a secretária de Educação Básica do Ministério da Educação, Maria do Pilar Lacerda, anunciou pelo Twitter que deixou o cargo e que seu substituto será César Callegari, membro do Conselho Nacional de Educação.

Segundo a assessoria do Inep, Malvina Tuttman teve um encontro com Mercadante pela manhã no qual, de comum acordo, ficou definido que ela sairia da presidência do instituto. No início da tarde, ela deu a informação aos coordenadores do Inep. Ela também iria informar todos os demais servidores do órgão em uma reunião convocada para o final da tarde.
 
"Vivi intensamente o Inep e nele aprendi com os meus colegas o valor de ser inepiana. Saio fisicamente desse importante Instituto, mas me sentirei sempre presente em cada sonho realizado e em cada ação desenvolvida pelos servidores do Inep. Para avançar na educação, o Brasil precisa de um Inep forte, e o Instituto está pronto para cumprir este desafio", disse Malvina, segundo a nota do instituto.
 
De acordo com o Ministério da Educação, além do Inep, Mercadante, que assumiu como ministro nesta semana em substituição a Fernando Haddad, deve conduzir alterações em quatro das seis secretarias da pasta.
 

Publicidade