Michel Teló lança CD e DVD gravado em praias badaladas

Novo trabalho do brasileiro mais tocado no mundo em 2012, mostra lado romântico do artista

    • Da redação - ViaEPTV
    • /
    • Priscila Nascimento
Divulgação
Michel Teló apresenta seu novo trabalho (Foto: Divulgação)

Com músicas gravadas em três badaladas praias do Brasil – Jurerê (Santa Catarina), Guarujá (São Paulo) e Angra dos Reis (Rio de Janeiro) – chega às lojas de todo o país nesta semana Michel Teló Sunset.

O mais novo trabalho do intérprete do hit brasileiro mais tocado no mundo em 2012 traz a marca característica do cantor: as músicas que falam de festa e balada, mas mostra ainda o lado romântico de Teló, como na balada “Se Tudo Fosse Fácil” onde o cantor toca violão ao lado de Paula Fernandes, ou na música “Maria”, gravada com outros 300 nomes de mulheres e que contará com um clipe em que as fãs poderão fazer a montagem com seus nomes e fotos.
Em CD e DVD, Michel Teló Sunset traz ainda as participações da dupla Bruninho e Davi, do escritório do cantor, na faixa “Levemente Alterado”, e a faixa que já virou sucesso “É Nóis Fazê Parapapá”, cantada ao lado de Bruno do Sorriso Maroto.
Vencedor do Billboard Awards com a música “Ai Se Eu Te Pego”na categoria Top Canção Latina, Teló falou ao PLUG sobre seu mais novo trabalho e sobre a responsabilidade de levar a música sertaneja brasileira para terras nunca antes visitadas pelo gênero musical.
Virando Bixo- Você gravou em três praias consideradas ícones do Brasil. Por que essa opção de gravar o CD e o DVD nas praias?
Michel Teló - A gente acabou levando o sertanejo até para o mundo e essa é nossa ideia, de sempre levar o sertanejo a lugares onde a galera não tinha tanta cultura de curtir o sertanejo. Os lugares que a gente gravou, são locais onde a maioria deles não havia música sertaneja ou não se tocava música sertaneja. São lugares de música eletrônica, de praia. E aí resolvemos gravar neles para mostrar a força do sertanejo e que a galera vai para a balada, curtir e fazer festa. Fomos em locais realmente incríveis, lindos, onde a festa pega mesmo.
VB- Vocês estão começando o trabalho com “Amiga da Minha Irmã”. Quais as apostas do disco além dessa faixa?
MT - Começo a trabalhar agora “Maria”, que é uma música romântica e vem com um videoclipe incrível, realmente emocionante, lembrando aquele amor de criança, quando você se apaixona pela primeira vez, um clipe muito bonito. Ela vem também com uma interatividade, pois eu canto “Maria”, mas gravei mais de 300 nomes de mulheres e a pessoa poderá colocar o nome dela no clipe, fotos dela e realmente participar do clipe.
VB - Isso é algo interativo e uma inovação.
MT - Totalmente interativo e é a primeira vez que isso é feito. A gente está muito feliz com esse projeto inovador.
VB - É nítido que a base do disco são as músicas que falam sobre festa, mas percebemos no disco uma pegada romântica. Você queria mostrar esse outro lado?
MT - A intenção é mostrar para as pessoas este ano o lado romântico do Michel Teló, que as pessoas conhecem das músicas de balada. Intencionalmente colocamos essas faixas românticas no disco. Vamos trabalhar essas músicas e mostrar para as pessoas que o Michel Teló canta música de festa, mas também canta músicas românticas e isso fica muito evidente no disco. São músicas que fizemos realmente com muito carinho.

VB - Como está a agenda de divulgação do disco? Você tem agenda de shows pelo Brasil, turnê internacional?
MT - A minha prioridade é a carreira no Brasil. A gente trabalha para a galera daqui. O CD vai ser lançado também lá fora, mas tenho um projeto para o fim do ano de fazer um disco internacional, gravar minha música em espanhol, inglês, para que as pessoas lá fora também compreendam o que a gente canta. É um desafio muito grande, mas um desafio que a gente quer encarar para continuar levando o nome do Brasil, o nosso som.
VB - “Ai Se Eu Te Pego” foi hit nos estádios da Ucrânia e da Polônia no ano passado durante a Eurocopa e sua música vem rompendo fronteiras. Agora mesmo acabou de ganhar o Billboard Awards nos EUA. Como é ver seu trabalho chegar ao mundo inteiro?
MT - Realmente é uma coisa que nunca imaginei que fosse acontecer. Ter uma música minha cantada no mundo inteiro, ver o mundo dançar uma canção cantada em português. É muito emocionante e poder estar vivendo isso é um presente de Deus em minha vida, um momento muito especial. Estou curtindo da melhor maneira possível e trabalhando muito para dar continuidade a isso tudo.
VB - Você ainda percebe preconceito no Brasil com sua música?
MT - É natural até porque temos várias tribos, vários mundos musicalmente falando. A música sertaneja, eletrônica, o reggae o rock, e cada pessoa no seu mundo. Aí quando um estilo musical chega tão forte, como o sertanejo chegou, é natural. Acho que já quebramos muitas barreiras e o sertanejo está cada vez mais forte. Antigamente a elite não curtia, era uma música mais popular, e hoje toca de A a Z. É lógico que há as pessoas que gostam de outro estilo e acabam meio que torcendo o nariz, mas é como digo, o dial do rádio está sempre à disposição. Se a pessoa não gosta, deixa para quem gosta curtir. Faço um trabalho com todo carinho e muita dedicação. São 20 anos de muita luta. Um clipe com 600 milhões de visualizações no mundo

VB - Quando começou no Guri, depois mais tarde como líder do Tradição, imaginava que seu trabalho teria essa projeção de hoje?
MT - Não tem como imaginar isso, Que você vai cantar uma música que o mundo inteiro vai cantar. Começamos cantando bailão. É uma coisa que nem em meus melhores sonhos poderia conceber, mas é presente de Deus para curtir e aproveitar da melhor maneira possível.
VB - Como é sua relação com os outros artistas e como foi a escolha das participações especiais no novo disco?
MT - Realmente existe um respeito muito grande meu. Quanto mais artistas da música sertaneja estiverem bem, melhor para nós. Os artistas têm essa consciência e a concorrência existe, é normal. Nesse disco tive participações incríveis. A Paula Fernandes, queria cantar com ela desde meu primeiro DVD, e foi incrível, uma das músicas que mais gosto do disco. Teve ainda o Brunão do Sorriso Maroto e o Bruninho e Davi, que fazem parte do meu escritório e gravaram “Levemente Alterado” comigo.


Comentários

Confira também