Noticias

Seguir ou não a profissão dos pais? Saia da dúvida

No passado, era comum passar a profissão de uma geração para outra, mas, atualmente, existe muitas possibilidades de cursos

| Da Redação

 

A escolha da profissão deve se basear nos talentos e habilidades da pessoa, não na vontade dos outros

Antigamente as famílias tinham uma cultura muito forte de passar a profissão de geração em geração. O pai se formava em Medicina ou em Direito e esperava que os seus filhos seguissem a mesma trajetória profissional. 


Essa forte influência acontecia porque havia pouca opção de curso no passado, além disso, os pais que tinham sucesso na carreira e ótimos ganhos achavam que os filhos também seriam bem sucedidos se seguissem os mesmos passos.  


Com o tempo, muitas coisas mudaram e surgiram novas opções de cursos, muitas possibilidades de atuação e as pessoas começaram a interpretar o trabalho como um meio de auto realização. Com isso, passaram a buscar os seus próprios caminhos e a cultura de seguir a profissão dos pais foi enfraquecendo, embora ainda exista.  


Os tempos mudaram, mas a influência dos pais na decisão profissional do(s) filho(s) ainda é muito comum, seja daqueles que já têm em mente que carreira seguir ou dos que estão indecisos. Atualmente a expectativa é de que os filho(s) façam uma escolha baseada no retorno financeiro ou na profissão que consideram como uma boa posição no mercado de trabalho.  


É um risco muito grande esse tipo de influência porque a escolha profissional deve ser baseada nos talentos e habilidades, e não na vontade de outras pessoas, até mesmo dos pais, pois poderá causar frustração e angústia.  


Se você está em dúvida se deve seguir a carreira dos seus pais, não tome uma decisão sem antes conhecer as profissões que combinam com os seus talentos, é importante fazer uma escolha assertiva.  


A Qcarreira tem profissionais disponíveis para ajudar neste momento importante, auxiliando no autoconhecimento dos pontos fortes, habilidades, medos e dúvidas.