Noticias

Enem tem abstenção recorde de 51,5% no primeiro dia de prova

Inep divulgou regras para candidatos com sintomas ou infectados com Covid-19 e outras doenças pedirem a reaplicação

| Da Redação

 

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante coletiva sobre o Enem 2020

 

A taxa de abstenção do primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 foi de 51,5%, segundo informou o ministro da Educação, Milton Ribeiro, em entrevista coletiva. Faltaram ao exame cerca de 2,8 milhões de estudantes dos 5,7 milhões de inscritos.
 

Esta é a maior taxa de abstenção do Enem desde 2009, quando 37,7% dos inscritos faltaram. Em 2019, a abstenção chegou a 23%.
 

O ministro atribui a elevada abstenção ao medo de contaminação, por causa da pandemia de Covid-19, e da mídia.
 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) também divulgou orientações para os candidatos que tiveram sintomas ou diagnóstico de Covid-19 na véspera ou no primeiro dia de provas. Eles poderão apresentar exames e laudos que comprovem a condição e solicitar a aplicação do exame entre 25 e 29 de janeiro.
 

O mesmo vale para outras doenças infecciosa, previstas no edital do Enem. O pedido pode ser encaminhado por meio da Página do Participante.
 

Quem tiver a solicitação aceita, fará as provas nos dias 23 e 24 de fevereiro. A aprovação ou a reprovação da solicitação deverá ser consultada, também, na Página do Participante.
 

Os estudantes que não puderam fazer o exame porque foram barrados poderão pedir para fazer as provas nas datas de reaplicação, em fevereiro. De acordo com o Inep, o problema foi registrado em 11 localidades e os pedidos serão avaliados.
 

Regras

Para a análise da possibilidade de reaplicação, a pessoa deverá inserir, obrigatoriamente, no momento da solicitação, documento legível que comprove a doença.  

Na documentação, deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro do Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento.
 

O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.
 

São doenças infectocontagiosas para fins de solicitação da reaplicação: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela e Covid-19.

(Com informações do Inep)