Noticias

54% dos estudantes estão desmotivados com o ensino remoto

Levantamento do DataFolha mostra que, desde o início da pandemia, aumentou oferta de aulas a distância, mas alunos se sentem menos motivados

| Da Redação

 

Pesquisa mostra que, além da falta de motivação, levantamento mostra que estudantes têm dificuldade de se organizar

 

Oito meses depois de as escolas terem interrompido as atividades presenciais por causa da pandemia de Covid-19, os estudantes estão se sentindo mais desmotivados e com dificuldade de organizar os estudos em casa.  


Este é o principal achado da quarta onda de uma pesquisa realizada pelo DataFolha, a pedido da Fundação Lemann, Itaú Social e Imaginable Futures. Foram ouvidos 1.021 pais/responsáveis de estudantes de escolas públicas do ensino fundamental e do ensino médio (6 a 18 anos), entre 16 de setembro e 2 de outubro.  

 

Oferta de atividades remotas
A pesquisa mostra que, entre maio e setembro, a porcentagem de alunos que receberam atividades para fazer em casa passou de 74% para 92%. 

 
O aumento do acesso ocorreu em todas as regiões, variando de 97% no Centro-Oeste a 84% no Norte. No Sul, a proporção foi de 96%, no Sudeste 94% e, no Nordeste 87%.  

 

Eficiência das atividades 
Para 64% dos pais, as aulas a distância são eficientes no aprendizado do estudante. As taxas são semelhantes nos diferentes níveis: 65% nos anos iniciais do ensino fundamental, 61% nos anos finais do ensino fundamental e 65% no ensino médio.  

 

Desmotivação
O percentual de alunos sem motivação para estudar chegou a 54% contra 46% do levantamento anterior. A dificuldade em se organizar para estudar em casa também aumentou, de 58% para 65%, no mesmo período. Nos anos iniciais do ensino fundamental, a desmotivação chega a 69%.   

 
O medo de abandonar os estudos está presente para 30% dos estudantes.  

 
Contaminação 
A pesquisa mostra também que 54% das pessoas já têm em casa pessoas do grupo de risco para o coronavírus e que 82% não tiveram contato com a Covid-19 - 18% já se contaminaram. Sobre o isolamento social, 44% estão em isolamento flexível. 

 
Queda da renda 
A renda familiar diminuiu em 42% e 38% recebem (ou tem alguém em casa que recebe) o Bolsa Família. 59% recebem o auxílio emergencial.