Noticias

Ideb aponta melhora do ensino médio, mas meta não é atingida

Segundo dados divulgados pelo MEC, o índice no Brasil foi de 3,8 e a meta é 4,2 para 2019; SP e MG também ficam abaixo da meta

| Da Redação

  O Ideb das escolas públicas aumentou entre 2017 e 2019, enquanto o das escolas privadas se manteve estável

 

O ensino médio melhorou entre 2017 e 2019 no Brasil, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado nesta terça-feira (15/9) pelo Ministério da Educação.  


O Ideb é a principal medida para avaliar a qualidade da educação do ensino fundamenta e do ensino médio. Para medir, são utilizadas as taxas de aprovação e o desempenho dos estudantes no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), em língua portuguesa e matemática.  


O Ideb é divulgado a cada dois anos, começando em 2005. São divulgados resultado com diversos recortes: Brasil, estados/DF, municípios, rede pública, rede privada etc. E existem metas para cada instância.  


Alguns destaques do Ideb 2019 para o ensino médio:  


- O Ideb do ensino médio no Brasil subiu de 3,8 para 4,2. Ou seja, um aumento de 0,4 ponto. Foi o maior aumento já verificado desde a criação do Ideb neste nível de ensino.  


- Apesar do aumento, a meta para o ensino médio em 2019 não foi atingida. A meta é 5.  


- Comparando a rede pública com a rede privada, percebe-se que o Ideb da rede pública é menor do que o da rede privada (3,9 e 6,0, respectivamente). Mas, ao longo do tempo, a rede privada está estagnada ou seja o Ideb é estável enquanto a rede estadual está aumentando.  


- Entre os estados, os destaques foram Goiás, único estado a atingir a meta individual, e Espírito Santo. Os dois empataram com as melhores médias do país na etapa: 4,8 pontos. Já Pará e Amapá tiveram os resultados mais baixos, com 3,4 pontos.  


- São Paulo e Minas Gerais não atingiram a meta para 2019. O Ideb de São Paulo é 4,6 em 2019 e a meta é 5,2. Minas teve Ideb de 4,2 e a meta é 5,3.

Ensino fundamental anos iniciais
Os anos iniciais do ensino fundamental apresentaram leve crescimento no indicador. O Ideb 2019 foi de 5,9 pontos (aumento de 0,1 ponto em relação 2017). Superou a meta prevista de 5,7 pontos.  


Nove estados/DF alcançaram Ideb maior ou igual a 6 nos anos iniciais do ensino fundamental. São Paulo teve o melhor desempenho, com 6,7 pontos, seguido por Distrito Federal, Santa Catarina, Paraná e Minas Gerais, com 6,5 pontos; Ceará, com 6,4 pontos; Goiás, com 6,2 pontos; Espírito Santo, com 6,1 pontos; e Rio Grande do Sul, com 6 pontos.  


Ensino fundamental anos finais
Nos anos finais do ensino fundamental, o aumento foi de 0,2 pontos, com resultado final de 4,9 pontos. Apesar da melhora, o índice ficou abaixo da meta de 5,2 pontos em 2019.  


O estado de São Paulo teve o melhor desempenho, com 5,5 pontos, mas a meta é de 5,9.  Minas Gerais teve Ideb de 4,9 nos anos finais em 2019. A meta é 5,5.

Sete estados conseguiram cumprir seus objetivos: Amazonas, Alagoas, Pernambuco, Piauí, Ceará, Paraná e Goiás. Os resultados mais baixos foram do Amapá, com 4 pontos, e do Pará, do Rio Grande do Norte, de Sergipe e da Bahia, com 4,1 pontos.