Noticias

Série de vídeos da PUC-Campinas debate o "lugar" da mulher

Professoras, funcionárias e estudantes da universidade analisam a condição feminina e seus desafios na sociedade contemporânea

| Da Redação

Seis vídeos com professoras, funcionárias e alunas da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) integram a série "Lugar de mulher é...", no YouTube, que debate a condição feminina na atualidade.  Em um dos vídeos, a segurança Kelly Cruz conta como, no seu dia a dia , tem que provar que é tão capaz quantos os homens de exercer a profissão. Além de trabalhar como segurança, ela estuda psicologia:   



 

Para Alessandra Borin, professora universitária e pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da PUC-Campinas, o lugar da mulher é onde ela quer estar: 

  

 

No vídeo, ela Alessandra destaca o papel das mulheres na pesquisa, em especial na PUC-Campinas, uma das instituições que mais tem bolsistas mulheres no país:   67,7% dos pesquisadores são mulheres, a quinta em ranking elaborado pelo Quero Bolsa, a partir de dados da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (Capes), ligada ao Ministério da Educação.  

 

A instituição que lidera o ranking é a Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), com 71,4% de representatividade feminina entre as bolsas oferecidas para pesquisas. 

 

Em seguida, aparece a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), com mulheres representando 70,3% das bolsas de pesquisa. Também fazem parte da lista a Faculdade de Apucarana (FAP) e a Universidade do Vale do Itajaí (Univali). A presença de mulheres entre estudantes que possuem bolsas para pesquisa na graduação dessas universidades é de 69,2% e 68,6%, respectivamente.