Noticias

Conheça "Claro Enigma", livro obrigatório para a Fuvest

Obra de Carlos Drummond de Andrade inclui "A máquina do mundo", considerado o melhor poema brasileiro do século XX

| Da Redação

Muitos vestibulares, entre eles alguns bastante concorridos como o da Fuvest e o da Unicamp, exigem a leitura obrigatória de obras literárias. E esse costuma ser é um dos maiores desafios enfrentados pelos estudantes que estão se preparando para as provas: afinal, como conciliar a enorme carga de estudo com a leitura de tantas obras?  

Uma maneira de facilitar o contato com os livros exigidos no vestibular é assistir a vídeos sobre eles. Embora os vídeos não substituam a experiência da leitura, muitos canais do Youtube fazem resenhas qualificadas sobre as obras mais pedidas nos vestibulares.  

E como o ideal é começar a estudar já, o Virando Bixo vai publicar toda semana resenhas selecionadas das principais obras.  

Hoje, apresentamos o livro "Claro Enigma", de Carlos Drummond de Andrade, que faz parte da lista de livros obrigatórios do vestibular da Fuvest, entre outros processos seletivos.   

Reprodução da capa da primeira edição de "Claro enigma", de Carlos Drummond de Andrade

"Claro Enigma" foi publicado em 1951 e, como o título sugere, reúne poemas que pontuam o contraponto entre as duas palavras que compõem o título:  o paradoxo entre o claro e o escuro em várias dimensões (no amor, nas relações, nas emoções, na vida) em poesias que transmitem um ceticismo em relação ao mundo.  

Um dos destaques do livro é o poema "A máquina do mundo", que chegou a ser considerado o melhor poema brasileiro do século XX por um júri composto por dez críticos literários escolhidos pela Folha de S.Paulo. No poema, nem mesmo a máquina do mundo é capaz de superar os paradoxos que alimentam o ceticismo.  

Confira a resenha de Tatiana Feltrin, do canal Tiny little things:    

  

O canal Vá ler um livro também publicou uma resenha de "Claro Enigma", que também analisa as diversas fases da obra do  poeta Carlos Drummond de Andrade e seu vínculo com o Modernismo. E a dica do canal é: leia os poemas em voz alta, pois dessa forma fica mais fácil compreendê-los.     



Veja também