Noticias

Veja quem são os vencedores do Virando Bixo 2018

Mikaela Teodoro, bicampeã do VB, vai receber como prêmio um carro O KM pelo 1.º lugar na categoria Vestibulando; Mateus José Brugnaro, de 15 anos, é o vencedor da categoria Treinero

| Da Redação

Mikaela Teodoro e Mateus José Brugnaro. Esses são os nomes dos vencedores do Virando Bixo edição 2018.
Mikaela, 17 anos, foi a primeira colocada na categoria Vestibulando e receberá um carro 0 Km como prêmio. A estudante é bicampeã do Virando Bixo: na edição 2017, foi a vencedora da categoria Treineiro e ganhou uma viagem internacional.  

Mateus, 15 anos, participou pela primeira vez do simulado. Seu prêmio é um intercâmbio de quatro semanas, oferecido pela C I Central de Intercâmbio.  

Ambos receberam a notícia com alegria. "Nem sei o que dizer, estou muito feliz e com a sensação de que todo o esforço valeu a pena! O estudo pode nos trazer muitas coisas boas", comemorou Mikaela ao ser informada que havia vencido o concurso.   

A estudante Mikaela Teodoro, bicampeã do Virando Bixo

 

Mateus disse estar surpreso. "Fiz o simulado pela primeira vez e, em 2019, vou cursar o segundo ano do ensino médio. Não tinha muita esperança de vencer porque achei prova presencial difícil, pois ainda não vi todo o conteúdo na escola", comentou.    


Mateus José Brugnaro, de 15 anos, foi o primeiro colocado  na categoria Treineiro
 

O Virando Bixo é um projeto da EPTV para ajudar estudantes a se prepararem para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e para o vestibular. O projeto existe há 19 anos.  

O simulado é composto por duas fases: a primeira, com provas online das disciplinas do ensino médio, com duração de 27 semanas. A segunda, é uma prova presencial, com questões de múltipla escolha e uma redação na edição 2018, a prova foi realizada no dia 10 de fevereiro. São chamados para a segunda etapa, os estudantes mais bem classificados em cada categoria.  As provas são elaboradas pelo Elite Pré-Vestibular Campinas.

 Para os vencedores, o simulado Virando Bixo foi um aliado importante nos estudos. No caso de Mikaela, fazer as provas todas as semanas foi importante para criar uma rotina de estudos. "Em 2018, eu estava me preparando para o vestibular e o simulado me ajudou muito a saber como estava o meu nível, o que eu precisava estudar mais", conta a estudante, que foi aprovada em Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Fatec de Mogi Mirim.  

No caso de Mateus, que mora em Limeira e estuda no Colégio Aprovado, a experiência de fazer o simulado o ajudou a aprender conteúdos que ainda não conhecia, especialmente em língua portuguesa e inglês. "Quando eu não sabia responder a questão, eu fazia pesquisas na internet", explica. Este ano, ele pretende repetir a experiência. "Vou fazer o Virando Bixo de novo", diz.