Manual exclui regra que zera redação contrária aos direitos humanos

Documento lançado pelo Inep detalha as expectativas da banca de avaliação e contém amostra de redações nota 1.000 na edição 2017 do exame

    • Da Redação
    • /
    • Marta Avancini

Falta pouco mais de um mês para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, que será realizado nos dias 4 e 11 de novembro. Para orientar os estudantes que farão o exame, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) lançou a "Cartilha do participante - A redação no Enem 2018".  

Uma mudança no documento em relação a anos anteriores é a exclusão da regra que atribuía nota zero à redação que desrespeitar os diritos humanos. A exclusão ocorreu porque em 2017, o Supremo Tribunal Federal (STF) deu ganho de causa ao movimento Escola sem Partido, que entrou na Justiça contra a regra. 

Além de apresentar como a redação é avaliada e as expectativas da banca quanto às competências avaliadas, a cartilha contém uma amostra de redações que receberam a nota máxima (mil pontos) na edição 2017 do Enem, com os comentários da banca. 

Vale, então, ler atentamente os textos e comentários e observar os aspectos que são valorizados pela banca. Em linha gerais, os comentários indicam que a banca não avalia apenas se o candidato é capaz de escrever uma dissertação, mas se ele domina a linguagem formal, se conhece as regras gramaticais, se é bem informado e se consegue articulá-las de maneira adequada, entre outros aspectos.  

Este ano, além da cartilha em PDF, o Inep lançou uma cartilha em Libras, para candidatos surdos e deficientes auditivos, composta por 26 vídeos.   

Trecho de cartilha da redação do Enem 2018 em Libras

Para ler e baixar a cartilha, acesse o site do Inep. A cartilha em Libras também está disponível no site do Instituto.



Comentários

Confira também