Calendario

Efeito das redes sociais na política é tema cotado para o Enem

Para se sair bem na prova de geografia e atualidades, é preciso entender a relação entre os acontecimentos e as diferentes áreas do conhecimento

| Da Redação

Para se sair bem em geografia e atualidades no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a dica é: não se preocupe em memorizar aspectos específicos dos acontecimentos, procure entender os temas de maneira geral, atentando às relações com outras áreas do conhecimento. A análise é do professor Luis Felipe Valle, que leciona Geografia na Oficina do Estudante.  


"No Enem, as atualidades geralmente servem de contexto para resgatar temas da geografia. Por exemplo, falar sobre globalização e internet pode ser um gancho para trazer o fortalecimento dos movimentos radicalizantes na política, os problemas ambientais podem trazer de volta temas como Revolução Industrial, extrativsimo e urbanização", detalha o professor.  


Ou seja, não adianta decorar os acontecimentos. "Não é só a informação que importa, mas entender como esses temas da atualidade trazem conteúdos da geografia clássica.  


Outra dica importante: a prova de geografia e atualidades do Enem é bastante equilibrada e tem um forte caráter interdisciplinar. Segundo ele, as questões são bastante contextualizadas, com questões que estabelecem relações entre temas e diferentes áreas do conhecimento.  


Então, aproveite a prova do Virando Bixo desta semana, que é de geografia e atualidades, para fazer uma bela revisão para o Enem, que está se aproximando será nos dias 3 e 10 de dezembro. E confira alguns temas que, segundo o professor Valle, podem cair no Enem.  Saiba mais sobre o simulado clicando aqui.


- Conteúdos relacionados à globalização e, a partir dela as relações de telecomunicações: papel da internet nas relações sociais, na polarização política, no afastamento das pessoas e, ao mesmo tempo, na aproximação dos mercados de consumo. "A internet é um grande tema da geografia, que pode conversar com a sociologia, com física em uma questão sobre trânsito de dados, por exemplo.  


- Demografia em questões que relacionam o envelhecimento da população com a Reforma da Previdência, com a Reforma Trabalhista, com a "uberização" do trabalho, ou seja, a flexibilização do trabalho dentro de um contexto ultraliberal e globalizado, o que também dialoga com a globalização.  


- Questões étnicas e culturais relacionadas a saberes de povos indígenas, xenofobia, discriminação de gênero e de raça.  


- Meio ambiente, tema que dialoga com a química e a biologia, envolvendo as questões ambientais, os acidentes (como os de Mariana e Brumadinho). O assunto também dialoga com os grandes domínios globais, o neocolonialismo (presença da China na África e América Latina, por exemplo), modelo de agricultura em larga escala, extinção das abelhas, derretimento de calotas polares - o que se liga a problemas urbanos, já que grande parte das cidades está no litoral.  


Além disso, o aluno deve revisar conteúdos clássicos como relevo, geologia, dinâmicas meteorológicas (ocorrência de furacões, problemas de ordem climática), funcionamento de vulcões, eras geológicas (que faz tempo que não aparece no Enem), produção de energia e conflitos do campo, entre outros.  


A dica final é: "A prova de geografia do Enem é muito completa. Preste muita atenção na hora de ler as questões. Use o bom senso".