Noticias

Na área da saúde, só médicos têm aumento acima da inflação

Levantamento com base no Caged mostra evolução salarial de profissionais estratégicos para o combate do coronavírus em 2019

| Da Redação

No contexto da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, profissionais de ciências biológicas e da saúde estão sendo requisitados para tratar pessoas infectadas ou buscar soluções como antivirais ou vacinas. 

Apesar disso, com exceção de médicos, diversos profissionais dessa áreas (enfermeiros, biólogos, biomédicos, biotecnologistas, químicos e farmacêuticos) tiveram queda salarial ou aumento abaixo da inflação em 2019 neste ano, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), que mede a inflação, foi de 4,3%. É o que mostra levantamento foi feito pelo Quero Bolsa, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).   

 

A maior parte das carreiras pesquisadas teve aumentos menores do que a inflação em 2019
 

Confira o desempenho salarial médio das carreiras entre 2018 e 2019: 

Médicos Infectologistas: + 8,17% (de R$ 6.432,49 para R$ 6.958,02)  

Médicos clínicos: + 6,65% (de R$ 6.185,47 para R$ 6.596,75).  

Enfermeiros: + 3,08% (de R$ 3.211,23 para R$ 3.309,99).  

Biomédico: + 3,08% (de R$ 2.481,61 para R$ 2.557,18).  

Farmacêutico: + 2,94% (de R$ 3.125,57 para R$ 3.217,48).  

Biotecnologista: + 2,17% (de R$ 3.603,71 para R$ 3.681,96).  

Químico: + 1,34% (de R$ 4.279,07 para R$ 4.336,34).  

Biólogo: + 0,7% (R$ 3.102,22 para R$ 3.080,63).