Noticias

Estudar no exterior é opção para quem quer cursar Medicina

Facilidade de ingresso e valores acessíveis de mensalidade são alguns dos fatores que atraem brasileiros

| Da Redação

Você já pensou em cursar Medicina no exterior? Assim como no Brasil, em vários países, não é fácil ingressar em Medicina, pois as instituições de ensino são bastante exigentes para selecionar seus estudantes. 

Em Portugal, por exemplo, a Universidade de Coimbra aceita o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como ingresso em diversos cursos, exceto Medicina. Nos Estados Unidos, também não é fácil: é preciso fazer uma gradução (undergratuate) durante quatro anos antes de se candidatar para uma escola médica. Por isso, muitos estudantes de Medicina que querem estudar nos Estados Unidos fazem a gradução no Brasil e fazem pós-graduação no país.  

Mas não desanime com esses exemplos, pois existem outras possibilidades. Cuba, Argentina e Paraguai são alguns países onde é viável pensar em fazer o curso de Medicina. E muitos brasileiros estão optando por estudar no exterior: as estimativas indicam que já 20 mil estudantes brasileiros cursando Medicina no exterior.  

Os principais fatores que atraem os brasileiros são a facilidade para ingressar (bem diferente dos disputados vestibulares no Brasil) e o custo mais acessível das mensalidades quando não é gratuito.  

Em Cuba, a Escola Latinoamericana de Medicina (Elam) é o destino de muitos brasileiros. Os alunos ganham bolsa de estudos, além de alimentação, hospedagem e uma ajuda de custo.   


Fazer intercâmbio é uma opção para quem quer estudar Medicina no exterior

 

A Argentina também atrai estudantes brasileiros de Medicina, em especial a Universidade de Buenos Aires (UBA). Na Argentina, não existe vestibular basta apresentar o diploma de ensino médio para ingressar no ensino superior. A universidade é pública e gratuita.  

O Paraguai é outro país que atrai estudantes brasileiros. O processo de ingresso é facilitado (geralmente basta apresentar documento de conclusão do ensino médio) e os valores das mensalidades são acessíveis.   

Outra maneira de estudar no exterior é fazer um intercâmbio durante a graduação - existem várias opções, inclusive na Europa e nos Estados Unidos. A International Federation of Medical Students Association (IFMSA) é uma entidade que oferece esse tipo de programa.

No entanto, assim como no Brasil, Medicina é um curso que exige bastante dedicação dos estudantes e um desempenho acadêmico acima da média. Os cursos, de maneira geral, se organizam a partir de um currículo-base que inclui disciplinas como química e biologia, para numa segunda etapa abordar temas específicos anatomia, fisiologia etc.  

Dominar a língua do país onde se pretende estudar também um pré-requisito para quem quer partir para o sonho de estudar no exterior.