Profissional de gastronomia precisa unir técnica e experiência

No Dia da Pizza, Virando Bixo fala sobre as possibilidades de formação e de inserção no mercado de trabalho na área

    • Da Redação
    • /
    • Marta Avancini

Um disco de massa fermentada de farinha de trigo, coberto com molho de tomate e os ingredientes variados que normalmente incluem algum tipo de queijo. É assim que a Wikipedia define um dos pratos mais apreciados: a pizza. Mas cada pizza é uma. "Existem vários tipos, dependendo do tipo e da espessura da massa", explica Pedro Falsarelli, que está cursando Gastronomia na Universidade do Vale do Sapucaí (Univás).  

Mesmo a pizza italiana pode variar: a napolitana (o nome vem da cidade de Nápoles, considerada o berço da pizza) tem bordas grossa. A romana é fininha. E a genovesa tem massa bem grossa. Além dessas, existe a chamada pizza pan, que ficou famosa nos restaurantes de fast food norte-americanos, tem massa grossa, aerada e, ao mesmo tempo é crocante. Conhecer os diferentes tipos de massa e de pizza é apenas uma das coisas que se aprende no curso de Gastronomia.   

O estudante Pedro Falsarella

Segundo o jovem, o curso é muito rico e informativo. "Quando fui aprovado achei que iria para a cozinha logo de cara. Mas não foi bem assim. Os dois primeiros semestres são focados em teoria e, aos poucos, a gente começa a entrar na cozinha", explica o estudante, que está no terceiro semestre.  "O curso ensina montar um restaurante completo. Ensina técnicas sobre administração, padronização de cardápios e de equipamentos, além de passar informações sobre como estruturar uma cozinha, entre outras coisas".  

Pedro Falsarella conta que está feliz com sua escolha. "Sempre gostei de cozinhar e queria fazer gastronomia, mas quando chegou a idade de prestar vestibular não existia uma graduação nessa área na minha região", explica o estudante, que mora em Santa Rita do Sapucaí (MG). Como gostava de matemática, acabou se matriculando em engenharia numa instituição de ensino de sua cidade. Mas a experiência acabou não dando certo. Mesmo assim, ele deu sorte. "Na época em que decidi mudar de área, foi criado o curso da Univás", diz.  

Em gastronomia, o diploma é tão importante quanto a experiência. Então, quando se formar, no final de 2018, ele quer morar e trabalhar no exterior, a fim de ganhar experiência na culinária de outras culturas. "Sou muito bom para preparar hambúrgueres, então penso em ir para os Estados Unidos. Mas pode ser qualquer outro lugar. Estou aberto".  

Além disso, desde que ingressou no curso, ele trabalha na cozinha de uma lanchonete de sua família. A experiência tem sido muito importante. "Consigo colocar em prática várias coisas que aprendo, como elaboração de cardápios, padronização de receitas e técnicas de administração de restaurantes", detalha o estudante.  

O curso  

Assim como ocorre na Univás, boa parte dos cursos de gastronomia formam "tecnólogos" na área. Os tecnólogos são profissionais formados nos chamados Cursos Superiores de Tecnologia.  

Essa denominação gera confusão e dúvidas. Muitas pessoas acham que esse tipo de curso não tem mesmo valor de uma graduação convencional, mas isso não é verdade! O diploma de um curso superior de tecnologia tem o mesmo valor do diploma de bacharel. A diferença é que o currículo dos cursos de tecnologia é mais alinhado com o mercado de trabalho.  

Um curso de gastronomia forma profissionais para atuar em várias frentes: além de cozinhar, é possível desenvolver atividades relacionadas a segurança alimentar, gerenciamento de restaurantes e de funcionários. É possível também atuar na área de eventos. Hoteis e hospitais são outras frentes importantes de trabalho.  

Na faculdade, os estudantes podem escolher suas áreas preferidas e se especializar, como confeitaria ou panificação. É possível ainda optar por trabalhar com um tipo específico de culinária francesa, asiática, vegetariana, italiana etc.  

No entanto, é preciso ter em mente que é preciso muita dedicação e tempo, até chegar à posição de chefe de cozinha. Geralmente, os profissionais começam como auxiliares em restaurantes um mundo bem diferente do glamour dos reality shows da tevê.  




Comentários

Confira também